CAMPANHA DE ADESÃO/FILIAÇÃO - ENVIA O TEU CONTACTO PARA vtamegapctp@sapo.pt E FAZ VENCER A LIBERDADE E A DEMOCRACIA.
Segunda-feira, 15 de Outubro de 2007

Exijamos o debate sobre a barragem de Fridão

AO POVO DO VALE DO TÂMEGA:

O PCTP/MRPP exige que a discussão para a construção da barragem do Fridão se faça com as populações e que seja fornecida toda a informação sobre os riscos de acidente e sobre as consequências aos níveis micro-climático (clima local), ambiental e da saúde pública.

 

O governo de bloco central, no caso dirigido por José Sócrates do PS mas que poderia ser dirigido por Marques Mendes ou Menezes que teria a mesma atitude, tem um plano que quer levar a cabo por mão das empresas EDP e REN (Rede Eléctrica Nacional) para a exploração hidroeléctrica do rio Tâmega. Desse plano consta a construção de três grandes barragens (Fridão, Daivões e Vidago) e não tem em conta a qualidade de vida das populações do vale do Tâmega - baixo Tâmega e região de Basto nem a estabilidade dos equilíbrios sustentáveis da região, nomeadamente os factores naturais positivos para as actividades ligadas ao campo e ao turismo.

O PCTP/MRPP vem exigir às câmaras municipais de Basto e Amarante que a discussão e o debate sobre a construção da barragem de Fridão mobilize as populações, o poder autárquico, as forças políticas e todas as forças vivas da região e que esse debate não se limite no tempo a apenas um mês que o governo quer impor. Esta imposição não passa de uma artimanha para impedir que as populações se envolvam na discussão e da mesma forma impedir que sejam públicas todas as informações sobre as consequências e os riscos para as populações da região.

Em primeiro lugar o governo e os lobbies da energia devem responder qual o porquê de uma barragem destas dimensões, com cerca de 100 metros de altura e capacidade de 210hm3, quando deveriam pensar nas populações e, em vez de uma monstruosidade destas, fazer duas ou três de menores dimensões e menores impactos negativos. Esta barragem vai deixar submersa a ponte sobre o Tâmega de Mondim de Basto, o lençol de água vai estender-se até Fermil e toda a veiga da Igreja de Veade e a própria igreja vão ficar debaixo de água.

Quanto à segurança o PCTP/MRPP denuncia que a construção do lado de Fridão vai apoiar-se sobre uma fractura tectónica e que, em caso de movimentos sísmicos, poderá haver a consequente ruptura da estrutura da barragem e, nesse caso, a cidade de Amarante e as suas populações sofrerão uma catástrofe com consequências imprevisíveis pois não haverá tempo para activar qualquer plano de evacuação.

Quanto à região de Basto é bom que se informe a população que reside no vale, no caso Mondim de Basto, de que vai passar a viver mais dias por ano com bancos de nevoeiro, o que prejudicará a produção vitivinícola; a qualidade de vida também diminuirá pois vão aumentar em grande escala doenças como a asma, a bronquite e reumáticas e, inerente à deterioração da água da barragem com cianobactérias, teremos invasão de parasitas, melgas, moscas, mosquitos, etc..

Quanto aos benefícios que alguns senhores do poder autárquico e político falam, lembramos que os empregos só existirão durante a fase de construção e já sabemos que vão fazer escrava a mão-de-obra do costume, em grande parte de trabalhadores imigrantes. E quanto aos proveitos do turismo perguntamos quem é que nessas condições vem fazer turismo náutico ou outro como se pode ver pelo grande exemplo da barragem do Torrão que, também diziam, trazia o turismo para Amarante. Hoje essa barragem é um pesadelo porque a cor da água e o seu cheiro pestilento, por serem águas paradas e criarem cianobactérias, correm com o turismo. Quando antes o rio tinha qualidade para o lazer, hoje as águas da albufeira estão interditas para banhos.

O PCTP/MRPP quer todos os cidadãos envolvidos no debate e lembramos as responsabilidades que têm os autarcas e deputados da região na promoção de debates e na cedência de espaços assim como lhes cabe por inteiro assumir posição firme e intransigente na defesa das populações.

Para que amanhã não seja tarde de mais, ousemos impor o debate livre onde todos contribuam com a sua opinião para a defesa do bem-estar das populações, do progresso e do desenvolvimento da região.

O POVO VENCERÁ!

 

Outubro de 2007  

 

O núcleo de simpatizantes e militantes

do PCTP/MRPP do Vale do Tâmega

publicado por lutanotamega às 20:32

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Preparemos Novas Greves G...

. Não à fusão! - sobre os m...

.

Calamidade no Rio Tâmega....

.

Manifesto eleitoral - par...

. A democracia burguesa em ...

.

 

Ao Povo do Vale do Tâmega...

. APELO À PARTICIPAÇÃO REVO...

.arquivos

. Dezembro 2010

. Julho 2010

. Abril 2010

. Setembro 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.links

.as minhas fotos

.Visitas a partir de 4 de Maio de 2006

Marketing OnlineAmigosVuelos BaratosLibreriaFotolog
blogs SAPO

.subscrever feeds